A versão feminina

Eu, Andreia, como esposa e companheira do Antônio não poderia tomar outro papel senão o de o apoiar incondicionalmente.

Sabia que mais tarde o mais cedo ele haveria de perder o medo e a vergonha e procurar ajuda naqueles que sempre o apoiaram.

E ainda bem que o fez, pois a nossa vida sexual estava seriamente afetada.

Claro que de minha parte não o deixaria de apoiar, mas se ele não conseguia procurar ajuda para resolver o problema, ia ficando cada vez mais depressivo e isso ia deteriorando a nossa relação.

Naturalmente que a mulher também sofre com esta situação, pois a sua relação sexual termina de uma forma frustrante, mas na minha opinião desde que haja amor, carinho e compreensão, todos os problemas podem ser ultrapassados.

Por isso gostaria de deixar aqui uma mensagem para todos os homens que sofrem deste problema, para que não sintam vergonha do que estão a passar e que é melhor procurarem ajuda logo no início, do que deteriorarem a relação.

Mesmo que exista muito amor e compreensão entre o casal, se o homem continuar a sentir-se envergonhado e a não admitir o seu problema, o amor de ambos vai inevitavelmente sendo deteriorado com o tempo.

Não há razão para o homem sentir vergonha de algo que afeta a maior parte dos homens.

Por isso: procurem ajuda sempre que precisarem!